Rua Campos Mello, 267 - Santos/SP

Cupins

Existem ao redor de todo o mundo milhares de espécies de cupins. Eles geralmente preferem lugares com clima tropical e subtropical, mas conseguem também adaptar-se a outras regiões.
Em um cupinzeiro, é possível encontrar desde centenas até milhares de cupins, que buscam sempre se alimentar da celulose.

TIPOS DE CUPINS

Cupins geralmente não transmitem doenças, apenas causam danos materiais no local que atingem.
No Brasil, são três os tipos de cupins mais comuns de se encontrar:

Brocas: o sinal de que elas invadiram sua casa ou seus móveis é um pó bem fino, que lembra fubá. Seu alimento favorito são as madeiras brancas, como pinus e cedrinho.

Cupins de solo: também chamados de aleluias, não deixam pós nem farelos, ou seja, nenhum sinal de ataque. Por isso, só percebemos a presença deles quando o móvel já começa a quebrar. Atacam qualquer tipo de madeira, incluindo rodapés. É o tipo mais agressivo de cupim urbano. Para eliminá-los, é preciso tratar toda a área infectada.

Cupins de madeira seca: também chamados de bichinhos da luz. Seu sinal de ataque é um pó granulado, mais grosso do que o pó das brocas. Atacam madeiras brancas, como pino, pinus e cedrinho. Para eliminá-los, basta tratar o móvel atacado.

MÉTODOS DE PREVENÇÃO

Para o combate aos cupins é necessário ficar atento a possíveis sinais de infestação. Conheça alguns métodos de prevenção:

– Não transporte móveis ou objetos infestados;
– Use madeiras tratadas durante a construção de um imóvel ou na montagem dos móveis;
– Mantenha a casa sempre limpa e dê atenção aos sinais de possíveis infestações;
– Inspecione periodicamente armários, madeiramento do telhado e outras estruturas de madeira;
– Proteja superfícies de madeira com verniz, tinta e outras coberturas, para tapar as frestas onde os cupins podem se alojar.

%d blogueiros gostam disto: